domingo, 9 de outubro de 2011

Dois anos depois

Olá,


     Hoje faz 2 anos que a Fran se foi..... Às vezes parece que já faz uma eternidade, e em outros momentos parece que tudo aconteceu ontem. Acho que essa falta de percepção do tempo é que faz com que nós consigamos viver cada dia sem tanto sofrimento. E realmente, como diversas pessoas disseram, só o tempo acalmaria o nosso coração. E agora ele já não sangra tanto, eu já não choro mais pela minha irmã. Sinto muitas saudades, claro, mas já não sofro tanto. A gente vai se acostumando com a falta, a saudade, a ausência. E vai tocando a vida assim.
      Mas me sinto na obrigação de compartilhar com vocês um outro grande sofrimento na minha família. Vocês que sempre me ajudaram a superar o meu luto e me apoiaram. A minha mãe também faleceu. Dia 28/07/2011 ela partiu, quem sabe para encontrar a Francine. Ela teve um diagnóstico de câncer de ovário em fevereiro desse ano. Fez uma cirurgia para a retirada dos ovários e teve que fazer um tratamento complementar para garantir que a doença não voltaria. Fez 6 sessões de quimioterapia, a cada 21 dias, perdeu o cabelo, mas passou bem por todas as sessões. O médico disse que ela estava curada. No dia 11/07 fez a última sessão de quimio e no dia seguinte ela completou 60 anos . Fez uma festa para 60 amigas, agradecendo o apoio de todas desde a morte da Francine e a luta contra a doença. Estava tudo bem..... Mas no dia 25/07, duas semanas após o aniversário, ela começou a passar mal. Teve uma infecção intestinal. Teve vômito e diarréia o dia todo. E ficou muito fraca. O organismo estava debilitado por causa da quimio. Ligamos para os médicos e eles disseram que era normal. No dia seguinte ela continuou muito fraca, o rim parou de funcionar. Chamamos o pessoal da Unimed, eles estiveram duas vezes em casa e disseram que estava tudo dentro da normalidade. Falamos com o pessoal da clínica em que ela fez o tratamento do câncer e disseram que estava tudo bem. Ela tinha que ser hidratada e logo voltaria a ficar bem. Mas ela dizia que estava muito mal, sentia muitas dores no abdômen. Só na terça a noite resolveram interná-la. Ela estava tendo um choque séptico. Na quarta ela foi operada, pois não sabiam o que ela tinha. Descobriram que ela teve uma isquemia mesentérica, que é um infarto no intestino. Grande parte do intestino dela estava necrosado, e com isso ela começou a ter uma infecção generalizada. Ela saiu da cirurgia, foi para a UTI e sobreviveu um pouco mais de 12 horas. O organismo não conseguiu reagir. Mais uma vez: será que houve erro médico? Será que todos foram negligentes porque ela ficou sofrendo dois dias e todos disseram que era normal? Nunca vamos descobrir. Talvez tenha sido uma fatalidade e não gosto muito de pensar nisso.
     Mas agora imaginem o nosso sofrimento!!!! Éramos 5 pessoas. Meus pais, meus dois irmãos e eu. E em menos de 2 anos ficamos em 3 pessoas. As pessoas que cresceram comigo, a minha família, aquela que está sempre ao nosso lado, nos apoiando, todos juntos, nos momentos bons e ruins, nas alegrias e nas brigas. Mas sempre juntos, como uma base. Isso acabou..... Era para a nossa família aumentar.... Todos casarem, terem filhos e meus pais nos recebendo nos fins de semana para aquele almoço cheio de histórias, com todos falando ao mesmo tempo e as crianças correndo de um lado para o outro. Isso não será mais possível. Não desse jeito que eu sempre imaginei.
     Estamos lutando agora para superar mais essa perda. Quando já estávamos nos reerguendo depois da morte da Fran. E agora precisamos começar tudo de novo.
     Isso é prova de como a droga pode acabar com uma família. Eu tenho certeza que a minha mãe desenvolveu o câncer em virtude do sofrimento da perda da filha. Ela não morreu de câncer, mas foi uma conseqüência da doença. Talvez se a Fran estivesse bem, a minha mãe também estaria bem. Ela nunca conseguiu aceitar a morte da Francine.
     Por isso acho que vocês devem continuar divulgando o blog para quem ainda não conhece. Eu parei de escrever, mas a história ainda é atual, e como! Cada vez mais jovens estão se envolvendo com drogas e não conseguem mais sair dessa. Tantos jovens estão morrendo.... Sabemos de tantas histórias tristes.... Ninguém merece isso. A família não merece, o jovem, que tem uma vida inteira pela frente, não merece. Precisamos buscar a tão sonhada felicidade em outro lugar. Não nas drogas. Eu não entendo essa necessidade do jovem de hoje de sair tanto, beber todas. Não pode perder uma balada. Por isso acaba experimentando qualquer coisa que o deixe acordado. Porque tem que sair todas as noites, estudar e trabalhar! Parece que o mundo vai acabar na semana seguinte. Será que não dá para aproveitar um pouco de cada vez? Pegando o meu exemplo: eu tenho 36 anos e ainda saio de noite com meu marido, vamos numa balada, bebemos, nos divertimos. Não fazemos isso todos os dias, nem todos os fins de semana. Temos uma filha, gostamos de ficar em casa, temos compromisso de trabalho. Mas ainda nos divertimos. Será que o jovem acha que só vai fazer isso até os 25, 26 anos e depois vai ficar trancado em casa?
     Tenham calma.... não tenham tanta pressa na vida... aproveitem cada momento... faça cada coisa de uma vez. A vida é enorme. Teremos tempo para tudo se tivermos mais paciência! Ninguém precisa se drogar para poder ficar acordado mais tempo para aproveitar todos os momentos o tempo todo. Cada momento é único, e devem ser especiais.

Espero que isso sirva de lição para todos os que passam por problemas!

Um grande beijo a todos

Isabela



21 comentários:

  1. Ola Isabela, Estou recem operada e como estou de repouso, acabei vendo sem querer este blog no facebook, em tres dias li o blog inteiro...eu ri e chorei muito com a historia da Francine, que menina linda, nao posso nem imaginar a dor que vcs todos sentiram, e hoje, fiquei mais triste ainda com a noticia da morte da sua mae...Mas por um lado, pense que agora, a Fran nao esta sozinha.E tenho certeza de que onde elas estiverem, estarao sempre olhando por voces...Cuide do seu pai, de bastante carinho a ele pq se para voce e dificil, imagina como deve estar sendo para ele....Quero deixar o meu e-mail para que se por acaso, vc venha a escrever o livro, me avise, sou do rio de janeiro.Te desejo toda a forca do mundo e que Deus te abencoe e te conforte... Abracos, Carla Castro

    ResponderExcluir
  2. Bela, tenho certeza que as duas estão juntas matando as saudades desses dois anos separadas. Nossa...a história de vocês é muito forte, vocês merecem tudo de bom. Eu e a minha família sempre oramos por vocês, nesses momentos é que devemos crer que há" vida depois da vida". Um beijo grande pra vcs!!

    ResponderExcluir
  3. Nossa Isabela, quanta tristeza !
    Sempre acompanhei o blog, seus posts diários. Depois parei de entrar, depois q vc parou de atualizar, agora estou em casa, de folga, e resolvi dar uma olhadinha... fiquei muito triste com a notícia. Espero que vcs se reergam. Sempre fico lembrando da carta que sua mãe escreveu e me emociono... agora ela está ao lado da Fran e olhando por vcs. Cuide bem do seu pai. Força*

    ResponderExcluir
  4. Viviane - Paulinia - SP12 de outubro de 2011 10:40

    Nossa... Não posso acreditar na sua mãezinha. Ja faz algum tempo que acompanho seu blog. Já li inteiro. Reli algumas partes. Vi este video abaixo umas 5 vezes. Sempre venho ver se tem algum post novo. Confesso que não esperava por algo assim. Sou muito resistente a morte (mesmo as chamada "naturais", por idade), mas neste momento só posso dizer as mesmas coisas que todo mundo fala nessas horas: que Deus está no comando, mesmo a gente não concordado e não aceitando. Tenho um apreço pelo Espiritismo, acredito que sua mãe esteja agora cuidando da Fran, do jeito que sempre foi.
    Continuem acreditando. De sempre um abração no seu pai.
    Ficarei aqui mandando energias pra vcs pra sempre.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Mto sábias sua palavras, infelizmente o caso da sua mãe é um caso clássico de negligência e erro médico, até hj não aconteceu caso parecido na minha fmailia, mas se aocntecer , eu me conheço, sei do meu temperamento e o médico que negligenciou pagará c a vida dele. Mto triste o que ocorreu c sua irmã tbem, tenho dois irmãos que usam drogas, um meu pai ja internou varia vezs em clinicas de recuperação, e hj esta melhor, mas não larga a maldita maconha. Espero que a sua familia consiga conviver c a dor, pq esqueçe-la sabemos que é impossivel. sou uma pessoa mto pé no cão, no estilo olho por olho, não acredito que exista um céu que as pessoas vão p la e " vivem " felizes para sempre no paraiso, acredito é na justiça que nós fazemos, na medicina, na ciência e no amor das pessoas.

    ResponderExcluir
  6. Bela, que bom você compartilhar conosco e nos lembrar sempre desses ensinamentos. Quero que saibas que não estás sozinha, oro sempre por todos de tua família que em breve aumentará...
    Um beijo grande de sua tia Marley

    ResponderExcluir
  7. Querida Isabela, sinto muito, de verdade, por sua mãe.
    Mas, minha querida, tente continuar VIVA, e busque sua felicidade, apesar de tanta dor vivida nos últimos anos.
    Vi meu pai, avó e avô falecerem, em tempos muito próximos, e todos, de alguma forma afetados pela dependência química do meu pai. Essa doença (dependência química) afeta ao adicto e a todos que o amam e convivem com ele.
    Agora é hora de cuidar de você, do seu esposo, da sua filha... A vida continua, querida. Cuide-se bem!!
    Beijos, com carinho.
    Poly
    (amandoumdependentequimico.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  8. Também perdi minha avó em Agosto, passaram-se só 6 meses desde que descobrimos que ela estava câncer até ela falecer (estando em tratamento)! É muito triste e dói demais! Mas Deus tem nos dado força para seguirmos em frente. Uma vez te mandei um email para que vc se apegasse à esperança da ressurreição que Deus nos dá através da bíblia. Volto a repetir! João 5:28,29 e Revelação 21:4 - Meus sinceros sentimentos! Um abraço

    ResponderExcluir
  9. Oi, poxa achei bem interessante a sua idéia de compartilhar tudo para que as pessoas assim como eu (que sou usuaria de cocaina) possa ter uma idéia de como é a luta, de tudo já fazem 2 anos que uso minha familia nunca desconfiou de nada e eu jamais que tenho coragem de falar algo e lendo o blog da para ter uma idéia de como é o tratamento e tudo mais .. mais deve ser terrivel ficar longe de amigos e familiares ..

    ResponderExcluir
  10. Isa.... eu que te escrevi no fim do ano passado, te dizendo que sentia uma ligacao com a Fran... na epoca vc ate comentou que nao acrediatava muito nisso, mas que respeitava. Estou dizendo isso apenas ara saber quem sou. Sinto mto pela sua mãe e forças para sua familia. nao tem mto o que dizer nestas horas. Ainda lembro muito da tua irma, varias vezes, sem nunca te-la conhecido. No fim do ano passado, eu escutava muito um CD nas minhas viagens de fim de ano e sempre que ouco, lembro da Fran... impresisonante. Esste fim de semana mesmo... viajei para o interior e coloquei o CD e a presenca da tua irma em meus pensamentos foi constante. te desejo paz, e para sua familia e todos que lhes cercam tb. Um grande abraco. Guilherme

    ResponderExcluir
  11. Isabela, li o blog todo e tb chorei e ri várias vezes com a Francine. Gostaria de desejar muita paz no caminho da sua família e que vcs seja muito felizes. Saiba que sua mãe está junto dela e guardando a família de vcs. Tb gostaria de saber se publicar o livro.

    ResponderExcluir
  12. Olá Isabela, estava pesquisando na internet sobre esta doença maldita e acabei encontrando seu blog. Perdi minha mãe á um mês ela também teve a isquemia mesentérica. Ela estava bem nunca teve nada diferente da sua mãe que já tinha passado por um outro tratamento. Ela teve dores abdominais no domingo dia 25/09 ela achava que era apenas dor pois tinhamos participado de um chá de panela ela havia comido salgadinhos e acreditava que o mal estar era por causa disso. Na segunda-feira ela continuou sentindo dores foi levada ao médico chegando la acharam que ela tinha uma ulcera rompida foi encaminhada direto para o hospital Santa Casa (moro no RS em Porto Alegre) la as dores foram aumentando e como não diagnosticavam o que ela tinha resolvem opera-lá ao fim da cirurgia onde ela teve 3 paradas cardiacas veio a terrível notícia o diagnostico dela era esse isquemia mesentérica da sala de cirurgia ela saiu também direto para a UTI e na terça dia 27/09 as 18hs ela veio a falecer. Também vivo com meu irmão, com meu pai e minha filha. Hoje sou o alicerce desta casa pois tive que tomar o lugar da minha mãe tento não mostrar a minha dor para poder dar forças para meu pai pois parece mentira tudo isso que estamos vivendo ela era uma pessoa alegre e saudável. A dor é imensa não me conformo de ter pedido ela. Te desejo toda força do mundo para poder ajudar a sua família.

    ResponderExcluir
  13. Isabela,

    Vai fazer 1(um) ano que comentei nesse blog. Nesse tempo, sempre acessei o blog por algumas razões, como a atualização e a saudade. Hoje entrei aqui e me deparo com uma notícia dessas... Realmente é muito triste.

    As pessoas partem, o corpo descansa, mas elas permanecem vivas em nossas lembranças. Às vezes é dolorido sentir o cheiro de quem partiu, visualizar pertences, lembrar de manias e gestos de quem partiu. Mas são essas lembranças, que tornam pessoas que já partiram... Vivas para sempre para nós.

    Desejo toda força do mundo para você e sua família.

    Que Deus abençoe a todos vocês. E cale toda essa dor.

    Luís - São Paulo.

    ResponderExcluir
  14. Não entrei no seu blog por nenhum interesse nas drogas, apenas entrei em um link em um site que fiz para um cliente (sou webdesigner) e este postou o resumo de sua história ao qual eu quis ler um pouco.

    Estou sofrendo por um motivo muito menor, mas que me dói por saber que os jovens não dão valor as coisas. Vou explicar minha situação melhor.

    Sou gay, também sou jovem, e namorei um rapaz de 22 anos. Nosso relacionamento sempre teve várias brigas, eu sempre fui uma pessoa sensata e calma, inclusive nos meus ralacionamentos passados, mas neste não. Me permiti ir mais longe, me permiti extrapolar o irracional para ficar com ele. Tentei de tudo pra que nosso relacionamento desse certo, desde engolir todas as provocações, falar pouco, falar muito, brigar de volta, ficar só ouvindo, ser sincero, ser carinhoso, ser rude... e nada muda.

    Recuperei minha auto-estima e comecei a tratar ele igual eu era antes de conhece-lo, muito educado, e parei de dar bola totalmente para as tentativas de brigas. Resultado, ele me mandou para o inferno do nada e não fala mais comigo.

    A família dele tem problemas com a polícia por roubo de dinheiro, são coisas que ele nunca deixou conversar sobre. Se eu não gostasse dele já teria facilmente me afastado.

    O que me dói, é perceber QUE ELE, sendo jovem, NÃO TEM PERCEPÇÃO DO VALOR das coisas, das pessoas, dos sentimentos, quem DIRÁ DA VIDA. E essa minha decepção não falo só por ele, cito ele porque SEI que é apenas umas AMOSTRA do que quase só se encontra nas baladas GAYS. Ser gay e sonhar não é fácil. Ser gay e encontrar um jovem que é bonito, que valha a pena não é fácil. Parece que o gay bonito é tão cobiçado que isso lhes sobem a cabeça e tratam os outros como servos...

    É apenas um desabafo, escrevendo percebi que tenho energia que ainda não foi canalizada, mas que com certeza não vou descontar nele, que por sinal nem fala mais comigo mesmo eu oferecendo entendimento e conversa.

    MUITA ESPIRITUALIDADE AOS JOVENS, QUE A MUDANÇA DE ANO ABRA OS CORAÇÕES DOS JOVENS, ABRA SUAS CONSCIÊNCIAS PARA A VIDA E AO AMOR, principalmente ao amor próprio, que é o princípio de tudo.

    Fiquei emocionado com teu texto, me fez escrever tanto, coisa q não faço gratuitamente em um blog, que para mim, ERA qualquer ;)

    SOFRER não é bom, mas faz parte da vida, E SABER que outros conseguem sentir O MESMO por você e dizer: A VIDA CONTINUA, é uma forma de compartilhar o peso da dor.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Bela. Li tudo o que tu postaste no blog de uma só vez. Conheci a Fran desde antes dela nascer, lembro de uma foto dela e do Igor no sofá do ap da mãe. Muito obrigada por compartilhar a história dela e da tua família. Fiquei muito feliz quando o Alex me disse que estavas grávida novamente. Com certeza é um dedinho da Fran e da Dona Leila para que vocês tenham uma alegria, depois de tanto sofrimento. Querida, mesmo não nos falando muito, ou quase nada, te amo desde criança. Ainda lembro de ti, do Fábio e de mim, brincando nos corredores do Carolina...Parabéns pelo teu desabafo diário, deve ter te ajudado a continuar a viver. Beijo em vocês todos. Força sempre. Cynara

    ResponderExcluir
  16. Olá isabela,é uma pena que tenha acontecido isso com a Fran,eu estou passando pelo mesmo problema, lutando contra esse vicio maldito da cocaína,ja me internei algumas vezes.Nesta última internação foi muito ruim , pois o lugar era precário, eu gostaria de lhe pedir o nome da clinica que a Francine ficou internada, eu ja não aguento mais recair, vou deixar um email, podemos conversar por ele tbm,melhoras e obrigado. (dependentequimico5@gmail.com)

    ResponderExcluir
  17. Isabela, acompanhei o seu blog quando começou a contar a história da Fran, depois que "acabou" a história eu nunca mais voltei, até que hoje vi ele na minha lista de blogs e li a triste notícia!
    Querida, tenha força e acredite, nada nessa vida é por acaso!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  18. Meus sentimentos Isabela!
    Tathinha

    ResponderExcluir
  19. Olá, nem sei o que dizer, faz 2 meses que eu perdi meu filho de 21 anos de overdose, no dia 23/07/2012...Sinto uma culpa enorme, porque nós não vimos o que estava se passando com ele, um menino que fazia faculdade na Puc (iria se formar ano que vem) namorava havia 3 anos, nunca chegou em casa bêbado, nunca tive que sair de madrugada para buscá-lo, porque sempre estava ou em casa ou na namorada, enfim, não temos argumentos para perguntar por que? Nossa família é super unida, somos comerciantes e trabalhávamos juntos, eu, meu marido e meus 2 filhos, sempre vivemos bem, nunca achamos nenhum vestígio de drogas em casa, no carro dele,inclusive os amigos da faculdade no dia do velório não se conformavam e diziam que não conseguiam acreditar que aquilo havia acontecido com o Marcos, ás vezes de sexta feira eles se reuniam para tomar uma cerveja e o chamavam e ele dizia que não, porque a namorada o estava esperando. Eu olho pra traz e me pergunto quando foi que eu perdi meu filho? Não tenho respostas, ele sempre tão amável, educado, e principalmente bem informado, sempre conversávamos sobre drogas, aids, sobre vários assuntos. Moramos nos Estados Unidos 3 anos e meio, voltamos para o Brasil, viajamos muito, sempre demos o melhor que podíamos pra eles, e olha o que aconteceu? ele se foi, overdose. Maldita droga e eu nem tive tempo de ajudar meu filho,vocês ainda puderam internar a Fran, não que isso diminua a dor da família, mas pelo menos tentaram, e eu? não tive tempo, não soube o que estava acontecendo...e quando ele se foi eu pirei, é uma sensação de impotencia, de culpa, de dor e revolta, as vezes penso que vou surtar. Tenho um filho com 17 anos, meu Deus, fiquei paranóica, fuço em tudo, gavetas, mochila, tudo é motivo pra eu procurar vestígios de alguma coisa, é muita loucura. Li o blog inteiro com lágrimas nos olhos, eu vi minha vida passando em cada página, é muito bom o que vocês estão fazendo, principalmente pra mostrar para as pessoas que o dependente químico nem sempre é como as pessoas pensam, eles tem famílias, são responsáveis, pessoas boas, mas que por algum motivo entraram nesse inferno, e infelizmente alguns não conseguiram sair. Meu filho nunca ficou devendo pra traficante, inclusive quando ele saiu de casa e não voltou, nem apareceu na casa da namorada, ficamos desesperados, fizemos BO, saiu na mídia o desaparecimento, e a família pensando que ele havia sido sequestrado, sei lá, ele sempre bem arrumado, com carro novo, foi a primeira coisa que pensamos, mas não era, ele foi encontrado em um hotel 5 estrelas, já morto, com 20 tulipas de cocaína, dez estavam usadas, o inquerito ainda não foi fechado, nem sei porque, mas os peritos dizem que uma pessoa não conseguiria cheirar 10 tulipas de cocaina pura, foi feito exames e a droga era puríssima, nos disseram que pela qualidade da droga, na terceira tulipa ele não aguentaria mais, e ainda está sob investigação. Este blog é muito bom, se todas as mães pudessem lê-lo iria ser um alerta: Mães prestem atenção nos seus filhos! Tudo isso que escrevi foi um grande desabafo, foi muito bom pra mim, foi tudo recente e eu az vezes acho que estou tendo um pesadelo e vou acordar e tudo vai ficar bem. Mas não vai, nunca mais, e isso está me levando a loucura. Parabéns a família por expor essa realidade de uma forma diferente, pois as pessoas generalizam muito, muitos pensam que um dependente químico seja alguem irresponsável, de má índole, sem estudo, sem família, e na realidade o que está acontecendo é exatamente o contrário, vários profissionais bem sucedidos, com famílas, filhos, estão cada vez mais se enfiando no mundo das drogas. Deixo aqui minha solidariedade pela família, pois estou passando exatamente o que vocês passaram, e não está sendo fácil. Que Deus nos de forças para continuar nossa jornada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você que perdeu seu filho, por favor, entre em contato comigo para que possamos trocar algumas ideias e angústias. Não posso deixar que sua vida termine como acabou a da minha mãe, precisamos conversar. meu e-mail: isabeladeschamps@gmail.com

      Excluir
  20. Tanto tempo fiquei sem entrar aqui , e li essa noticia tão triste !!
    Que Deus conforte o teu coração .

    ResponderExcluir