quarta-feira, 14 de julho de 2010

Vigésimo Sexto Dia - o último da internação

Escrito por Francine:


10 DE JULHO - 26 DIAS - SEXTA-FEIRA
Acordei várias vezes a noite, angustiada, parecia que iria embora hoje. Bem, para começar, aquele café da manhã no quarto, com bolachinhas e água. Acordei as 7:00 hs. Café da manhã com 2 pães de margarina e presunto e depois uma cuca de farofa. Teve grupo com o Dr João, foi o mais emocionante e chocante para todos. Vou contar a historia da Dona Jucélia, Célia como gosta de ser chamada.Casou aos 15 anos. Teve uma filha deficiente visual, 3% em um olho e 4% em outro (hoje é casada e tem filho.) Depois teve outro filho que até hoje não sabe se usava droga,s mas acha que sim, que morreu num acidente de carro aos vinte e poucos anos. O marido, ela se separou logo porque batia nela e não era alcoólatra e nem drogado. Ela se internou como louca em um hospicio no Parana na década de 70 (ela tem 56 anos). A enfermeira a jogou num cubículo o qual recebia comida por baixo da porta e tinha que comer com as mãos. A enfermeira também judiava dela e a sacudia como se ela fosse louca e ela não tinha nada. Foi amarrada numa cama, pés, braços, pernas e mãos, com camisa de força e ali ficou 4 dias e quando retiraram saiu toda a pele junto.............sem comentários. Ela já estava separada e superou tudo sozinha, tem uma lanchonete no interior do Paraná e tem depressão profunda, mas nunca mais quis se relacionar com ninguém, trabalha bastante e veio para cá com depressão profunda mas sempre teve e nunca deixou atingir, mas sim veio mais pra descansar. Hoje foi a primeira vez desde que aconteceu que ela conseguiu contar essa historia, foi chocante, não teve quem não se emocionou. Depois ela veio olhar pra mim no fundo dos meu olhos..."Filha te cuida, você é linda, dá alegria para teus pais, você tem apenas 26 anos. És linda, inteligente, encara com força, dá muita alegria para tua família e mostra tudo o que você aprendeu aqui dentro". Fernando, um interno que usava crack, foi embora hoje e foi direto para uma fazenda, o pai dele veio buscá-lo. Ele não tomava banho aqui e começamos a perceber porque ele grudava em todo mundo e sempre manipulava alguém para dar algo a ele, começamos a notar a mão suja e o mau cheiro, então a enfermaria foi avisada. Ele mal sabe ler, nunca lia nas reuniões e os filmes tinham que ser dublados. Jane também contou que apanhou duas vezes do marido durante essas 7 separações, e que não usa batom pela cicatriz que ficou na boca, pois acentua a cicatriz quando ela passa batom. Dr. João colocou para nós que Silvana apanhava do marido também, daí sim, me emocionei mais ainda, e ela, coitada, chorava sem parar e o que mais me indignou foi a visita dele no sábado aqui para ela, o quanto ela o abraçava e beijava e dizia que o amava, e ele um cara com uma cara de anjo, conversou comigo...também, não sei há quantos anos foi isso, mas sei que ela é paciente do Dr. João há 22 anos. O grupo foi muito chocante chorei muito. Depois teve a reunião sobre o final de semana, mas mesmo assim tive que participar por ordem do Dr.. Depois, almoço, comi igual uma porca grávida, só posso estar com vermes novamente. Comi 2 pratos de macarrão com alho e feijão e salada, mas foram 2 pratossssssssssssssssssss. Dormi, depois falei com a minha irmã e minha mãe e nem lembro o que, tava dormindo! A tarde tivemos psicóloga, ela entregou a letra de uma música do Michael Jackson, depois eu escrevo porque já está guardada na mala, colocou a música e cantamos, Muito bom! Me emocionou. Dra Suzana declamou um poema o qual também vou ter que escrever depois porque está com ela. Foi tudo maravilhoso, até começarem a discutir sobre a morte dele e sobre exporem a filha no palco pra falar e tals, cada um dando uma opinião. Júlio com suas perguntas mais cretinas e julgamentos piores ainda. Amélia perguntando para a psicóloga (porraaaaaaaaaaaaaaa, que vem de Florianópolis, para no tratar, só tem 1 hora de atendimento aqui) e fica perguntando a opinião dela sobre a família de MJ exporem a menina no palco poraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, fui obrigada a dar um grito e pedir para todos pararem de falar disso, Júlio olhou para mim e disse: calmaaaaaaaaaaaaaa Francine e eu respondi: não, para perguntas idiotas eu não tenho calma e o nosso trato aqui não é para isso), daí ele: I’m sorry Francine, e eu Fuck you Júlio! Ah, vai a merda! Fica discutindo que ele negou a negritude e tals.............ai vai se tratar, porra tem um filho que nas 11 internações dele nunca ligou e nem veio visitar. Quem é ele para dar opinião alguma sobre MJ, um cara de tantos talentos e com certeza defeitos como todos nos! Me irritei. Não comi no café da tarde, dormi, acordei 17:30 hs e pedi um misto duplo. Assisti pela metade o filme (querem acabar comigo) e depois janta. Sopa de batata, adorei, estava muito gostosa. Tomei banho. Arrumei minhas coisas e desci pra assistir a novela, jornal, novela....estou com sentimento se angústia, ansiosa e medo, sei lá meu sexto sentido....parece que algo não está bem com a minha familia. Está chovendo aqui e lá, a estrada está ruim, estou com medo....mas vou lembrar do segredo e vai dar tudo certo!!!!! Já tomei o remédio e parece que não dá mais efeito hahahahah, Estou agoniadaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!! Não vejo a hora de abraçar meus pais! Ver minha família reunida novamente! Eu destruí e eu que vou construir novamente! Só depende de mim. Tudo o que aprendi vou botar em prática lá fora. A vida me espera! Que felicidade imensa!!!!!!!!!!!!!!!!

SÓ POR HOJE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! FUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!!!!!!!

17 comentários:

  1. qdo terminei de ler pensei " q bom q tudo passou e q deu certo", mau sabiamos o a tava por vir!!!

    sem palavras

    Carol souza

    ResponderExcluir
  2. Oi Carol,

    Realmente é difícil imaginar que nada deu certo. Parece que a história vai ter um final feliz.
    POdes me mandar um e-mail porque eu preciso falar contigo?
    Beijos
    Isabela

    ResponderExcluir
  3. Oi Isabela

    meu e-mail é carolinadauer@hotmail.com

    beijoooss

    Carol souza

    ResponderExcluir
  4. Isabela, li os textos, estou emocionada até agora. Que Deus possa direcionar os seus pensamentos e que a sua atitude de divulgar isso tudo é de suma importância.
    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Sem palavras! Que deus possa dar conforto pra você e sua família, Isabela! A Francine, está nos braços do pai!

    Estou acompanhando a história!

    Fica com Deus, benção!

    ResponderExcluir
  6. oi Isabela, conheci o blog hj e já o li todo, desde o primeiro posto... acho muito interessante a sua iniciativa, imagino que remexer nessas anotações deve doer, mas pense que pode estar ajudando muita gente. Já pensou em publicar isso num livro? acho que seria muito legal, muito mais gente poderia ter acesso.
    Nada que eu disser aqui vou conseguir confortar o coração de vcs, mas deixo o meu abraço carinhoso e a certeza que dias melhores virão.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Isabela, isso mesmo que a Carol disse... já pensou em publicar isso em um livro?
    Essas anotações... são valiosas.

    ResponderExcluir
  8. Nossa, muito emocionante o seu blog. É uma pena que a história da sua irmã tenha tido um final tão triste e trágico quanto esse! Ela era linda demais...

    Bom, vou contar um pouco da minha história: Prefiro não mencionar o meu nome, mas posso dizer que tenho 24 anos e moro no Rio de Janeiro. Tomei conhecimento da história da sua irmã através da comunidade do Orkut, "Profiles de gente morta".

    Bom, já experimentei maconha e cocaína. Acho que maconha nunca surtiu efeito algum em mim por isso usei uma vez e só. Porém, a pessoa que estava comigo, disse que percebeu sim mudanças no meu comportamento.

    Depois disso, quando eu estava com cerca de 19-20 anos, me mudei pra uma cidade do interior nordestino. Lá conheci e me apaixonei por um viciado em cocaína.

    Eu tinha a maldita curiosidade de saber como era a cocaína, mas nunca havia tido coragem de buscar pela droga. Até que essa pessoa me ofereceu e eu experimentei.

    A primeira vez foi uma loucura indescritível. Eu fiquei enlouquecida, vi coisas, perdi o controle. A partir daí, comecei a usar pra acompanhar esse homem (e porque eu também queria, claro) por quase todos os dias- morei lá, com ele, por cerca de 6 meses.

    ResponderExcluir
  9. (Continuação)
    Mas eu, ainda nova, não via que aquilo me representava perigo. E, de fato, eu não sentia aquela necessidade da droga, como os demais viciados. Quando eu tava a fim usava, quando não, recusava.

    Mas a idade não era desculpa pra nada, não é verdade? Eu já era grandinha o suficiente e tinha o discernimento de que muitas pessoas se viciam logo no início, ou até mesmo na primeira "cheirada".

    Bem, quando eu usava a maldita, eu saía de mim. Fica briguenta, violenta, perdia o controle. Me lembro como se fosse hoje do dia em que, na casa do namorado após o uso da maldita, bebi desinfetante de roupas. Graças a Deus, não foi muito (pois ele conseguiu tirar o frasco da minha mão em tempo)e nada me aconteceu. Mas poderia ter acontecido...

    Por fim, decidi que viria ao Rio pra passar o Natal e Reveillon com minha família e agilizar a papelada pra que nos casássemos no nordeste, quando eu retornasse.

    Felizmente, parece que quando eu cheguei aqui algum anjo botou a mão sobre mim e me abençoou. Olhei meus pais felizes aguardando por sua filha única no aeroporto e percebi que já tinha os dado trabalho e desgosto demais. Naquele momento percebi que não queria que aqueles sorrisos se apagassem por causa de um vício meu.

    E comecei a pensar também: "Meu Deus, eu só tenho 20 anos e não quero acabar com minha vida desse jeito. Não quero pra mim esse vício maldito e por isso não retorno mais pra lá, pra ele, e nunca mais usarei qualquer tipo de droga!"

    Comecei a fazer faculdade – onde meu desempenho era sempre interrompido por bebedeiras, perdi ano, e tranquei a matrícula por duas vezes - e a trabalhar e os anos passaram. Mas, infelizmente, há cerca de duas semanas (e quatro anos depois da primeira vez com cocaína), fui infiel a minha promessa.

    Briguei com meu noivo, saí, bebi bastante, conheci pessoas que me ofereceram cocaína e, o pior, eu aceitei. Voltei pra casa do meu noivo, ele percebeu que eu tava alterada demais, perguntou e assumi que tinha bebido e me drogado. Então, ele terminou comigo. Disse que não quer uma drogada na vida dele.

    Cheguei em casa e dormi feito uma pedra... Bêbada e drogada. Mas sabe, Isabela, quando eu acordei, me senti tão suja! Acredite: pior do que você ser infiel a uma promessa que fez a alguém, é se sentir traído por si mesmo. Creio que tua irmã já tenha sentido isso.

    Eu me traí e perdi o homem que mais amei nessa vida. Agora chega! Não quero perder mais ninguém, sobretudo a mim mesma. Agora estou aproveitando que ainda estou em tempo, e estou tentando parar de beber. Como se sabe, uma coisa leva a outra. Todas as vezes que fiz uso de drogas, foi após ter consumido bebida alcoólica.
    Obrigada por este Blog de imensa utilidade pública. Nessa semana que se inicia, vou procurar ajuda médica pra deixar o consumo de etílicos pois percebo que sozinha eu não vou conseguir.

    E, mais uma vez, OBRIGADA.
    R*

    ResponderExcluir
  10. Isabela,

    Deus deve estar muito orgulhoso de voce, pois enquanto tem familias que escondem isso, voce fez questao de relatar essa hst, pra que ajude a salvar outras pessoas...

    Que o Espirito Santo do Senhor repouse sobre sua casa e sua familia!

    P.S. Voce ainda vai postar o que aconteceu e como aconteceu depois?
    Tenho um amigo que esta nesta situação e ja divulguei o blog a ele.
    bj!

    ResponderExcluir
  11. Oi!

    Muito obrigada por todas as manifestações de carinho. Eu me conforto em saber que estou ajudando alguma pessoas, pois esse é o objetivo do blog.
    A moça que escreveu o depoimento acima, não desista, é muito bom você pedir ajuda, porque quem é dependente químico não pode beber, e acho que essa é a parte mais difícil, porque as pessoas bebem na "nossa cara" e é difícil aguentar a vontade
    Mara, em abril há um post de uma carta da minha mãe, que conta como foi que ela faleceu, é isto que você gostaria de saber? Quanto ao processo depois da clínica, vou começar a postar essa semana
    Beijos
    Isabela

    ResponderExcluir
  12. Isabela, parabéns pela força e coragem em divulgar a história da Linda Fran, tenho certeza de que vai ajudar a muitos dependentes e também seus familiares... Me emocionei mto com tudo por aqui, a carta da sua mãe então, misericórdia, sem palavras, para seus pais e para vc, nada do q falemos vai diminuir a dor e a saudade q vc's sentem por ela, mas deixo meu abraço a vc's, e minha oração para que Deus continue carregando toda sua familia no colo e dando a vc's mta força e pela Fran meu desejo e pedido é q ela esteja hj no reino dos céus, feliz e livre de todo esse sofrimento, livre dessa maldita q destroe tantas vidas, enfim q ela esteja verdadeiramente bem, juntinho do irmão do Manieri no céu, olhando por todos aqui em baixo... Um grande Abraço Isabela e que Deus os Abençoe muito.... Fra =)

    ResponderExcluir
  13. Isabela,

    Obrigada por responder!
    Então vou acompanhar as proximas postagens!

    Deus abençoe vcs!

    ResponderExcluir
  14. Vocês já pensaram em transformar isso em um livro?
    A história da Fran serviria para mostrar as pessoas que não é só na classe baixa que isso acontece, ainda seria uma "alerta" para o resto da população, para eles ficarem sabendo que as drogas não são brincadeira que elas viciam e que se usadas de certa forma podem matar. Vocês irão fazer posts falendo dos dias dela fora da cliníca?
    Concerteza atitude do médico de liberar bebida alcoólica não foi certa.
    Meus pêsames, força para vocês.

    ResponderExcluir
  15. ola,
    emocionante a historia, sem palavras...tenho 37 anos e na minha adolescencia tive minhas experiencias com drogas ( maconha ) mas nada significativo. aos 23 nasceu minha filha Victoria. 1 ano depois me separei do seu pai e me envolvi com um cara 5 anos mais novo, usuario e traficante de drogas internacional, vc acredita? 24 anos, mae de uma menina linda, com pais maravilhosos, uma familia estruturada...de quem era a culpa? gracas a Deus depois de longos sete anos de humilhacoes, agressoes e maus tratos, consegui me livrar desse pesadelo. Mas hoje ainda carrego muitas sequelas dessa fase e uma imensa culpa de ter participado, mesmo q indiretamente, da desgraca de muitos, como no caso da sua familia. ( digo indiretamente pois, mesmo estando com ele, nao era usuaria, tinha a grande ilusao de q eu conseguiria salva-lo...) Maravilhoso seu blog, pois hj minha filha tem 13 anos e vou usa-lo como exemplo! Deus sempre faz o melhor, mesmo q nao acreditemos no momento. Quem sabe nao estava nos planos da espiritualidade essa prova de Francine? Quem sabe com sua atitude de divulgacao, qtas Francines estaras salvando? muita paz
    Elaine

    ResponderExcluir
  16. parabéns pela divulgaçao da historia de francine, tenho certeza q ajudara muitas pessoas!

    ResponderExcluir
  17. Encontrei esse blog do nada e li cada linha com muita atenção e foi impossível não chorar e ainda mais me fazer pensar em todo o sofrimento que estou causando a minha familia com meus malditos vicios !!!

    Perdi meus pais e sei o quanto se tornou dificil para minha irmã mais velha cuidar de mim e ela que me trata como um filho e na maioria das vezes só causo decepções e tristeza e nenhuma familia merece isso !!!

    Eu tinha tantos sonhos e planos e acabei sendo um fraco e me entregando as drogas !!!

    Queria aproveitar e deixar um recado porque tenho certeza que outras pessoas na mesma situação vão ler isso e possam refletir !!!

    1 - Se você não tem bons amigos ande sozinho nunca esqueça antes só do que mal acompanhado.

    2 - Não ache que você está no controle da situação e que você para a hora que quiser, pois você estará mentindo pra você mesmo e esse foi um dos meus maiores erros !!!

    3 - Não pense que a loucura fará seus problemas desaparecerem, pois isso não vai acontecer depois que a loucura acabar os problemas vão continuar ali esperando uma solução.

    4 - Pense e reflita sobre todo o sofrimento que você está causando a si mesmo e as pessoas que realmente te amam.

    5 - Se você tiver a oportunidade de se internar, não cometa o mesmo erro que cometi se interne, pois as vezes ainda há esperança.

    Queria deixar aqui registrado os meus sentimentos a familia da Fran e que Deus possa da melhor forma amenizar a dor de todos vocês !!!

    LEMBRE-SE ISABELA SAUDADES SIM, TRISTEZA NÃO !!!

    UM DIA TODOS NÓS VAMOS NOS ENCONTRAR NOVAMENTE !!!

    QUE DEUS ILUMINE O CORAÇÃO DE TODOS VOCÊS !!!

    JUNINHO CAMPANER

    ResponderExcluir